Um ano sem comprar roupa: o que a gente aprendeu

1024 492 Melina e Raphael
  • 5

Esse foi um ano que começamos determinados a pensar (e mudar) várias áreas da nossa vida. Uma delas foi o consumo. Pensando nos nossos hábitos, um dos primeiros alvos foi o armário.

Sabe aquele momento em que você abre o armário, se descabela e diz: “ahhh, não tenho roupa!” Porém não tem um espaço e está tudo abarrotado. Como que pode?

Fomos investigar esse fenômeno e tomar algumas atitudes para nos livrarmos desse problema. A primeira foi parar de abarrotar o armário, ou seja, parar de comprar. Vamos contar algumas descobertas nesse um ano sem compras.

 

1) Fechar a carteira abre a mente

Parar de comprar foi muito mais fácil do que parece. Foi isso que fizemos em janeiro de 2014. No começo, não tinha exatamente uma data para rolar esse desafio, mas foi tão bom que durou um ano. (Tipo Um Ano Sem Zara!) Sabe qual é a maior maravilha de parar de comprar: você vai ter que se virar com o que já tem. Trabalho, jantar com os amigos, formatura, casamento… te vira, malandro! Você acaba “descobrindo” roupas que tinha deixado de lado há tempos, novas combinações e fica muito mais criativo sem o “recurso” de sair correndo e comprar uma roupa nova. E não faltou casamento pra irmos. Repetimos vários modelos favoritos sem dó. Quer saber? Ninguém deu a mínima. As pessoas estão prestando muito menos atenção na sua roupa do que você imagina.

 

2) Experimentar sem sair de casa é uma ótima

Essa foi uma dica valiosa das meninas da Oficina de Estilo através do livro “Vista quem você é”. Recomendadíssimo. Na hora de sair, rola aquele desesperinho: “oh, céus, não tenho nada pra usar”. Por isso, não deixe chegar esse momento pra se virar com o que você tem. Monte looks para diversas situações em uma tarde divertida brincando de modelo e fotografe. Pra conseguir visualizar além das suas peças queridinhas e combinações sucesso, sabe? Já ter esse repertório de looks vai te dar a sensação de opções. E não de usar sempre as mesmas três ou quatro combinações de sempre.

+ Leia também: O casal Carinhas está na terrinha!

É muito bom sair de casa só usando suas roupas favoritas sem dificuldade pra escolher! Foto: cultuga.com.br

 

3) Quanto menos peça nova, mais desapego

Parece que seria ao contrário, né? Com o desafio do não comprar, a impressão que passa é que vamos nos agarrar até aquela camisa furada. Não rola, você fica muito mais objetivo na hora de pensar os looks e o desapego flui mais rápido. Foi sair três vezes para, por exemplo, jantar fora e não rolou de jeito nenhum aquele vestido? Não vai rolar nunca, pode desapegar sem medo. Resultado: desapegamos três vezes esse ano e doamos muuuuitas peças sem comprar nenhumazinha sequer. O que nos leva a próxima dica.

Menos roupas: mais tempo pra passear, muito amor. Foto: carollalach.com

 

4) Com menos é mais fácil

Menos roupas geram mais looks. Não sacou a matemática? Pois é. Quando você tem menos roupas, é obrigatório que várias combinem entre si. Aquela camisa que só combina com uma calça específica, logo será eliminada no processo de experimentar sem sair do passo 2. Com menos, você nota que seria muito mais esperto que suas partes de baixo quase todas combinassem com suas partes de cima. Olha que progressão geométrica linda rolando, um mundo de possibilidades.

+ Leia também: Bora viajar? Chega mais na nossa categoria viagens

 

5) Que tal ganhar ao invés de gastar?

A gente descobriu que ainda dava pra ganhar uma graninha, além de não gastar por um ano. Explico: muitas peças foram para doação. Porém, outras tantas estavam novas, nunca usadas. Alguém falou em compra por impulso? Isso mesmo. Por compras desenfreadas no passado, a gente tinha sapatos, vestidos, bolsas e até chapéus (!) sem uso. De marcas boas e que foram caros. Para essa questão entrou em cena a venda. Colocamos as coisas mais legais no enjoei. O enjoei cobra uma taxa alta mas mesmo assim sentimos que valeu. Foi uma renda surpresa. E a realização daquele dinheiro todo parado no armário? Fora a felicidade de ver as peças sendo compradas por quem vai usar de verdade. E não pra ficarem encostadas, né?

A gente só ficou com roupas que ama! Foto: gabialves.com

 

6) Vai comprar? Que seja com foco

Bom, nós ficamos um ano mas é certo que não vai rolar que ficar dez anos sem comprar nenhuma roupa, né? A lindeza dessa experiência é justamente encarar o comprar com todas essas lições aprendidas. Você definitivamente não vai querer entulhar seu armário novamente depois que sua vida foi facilitada com menos roupas. Sabe porque? Você ganhou o bem mais precioso que não tem pra vender em loja: tempo. Menos tempo administrando, limpando e mantendo todas aquelas roupas. A partir de agora, comprar será com foco, objetivo e consciência. Bom pra seus looks, bom pro seu bolso, bom pro meio ambiente… ih, só coisa boa! Abraços do casal e boas não-compras pra você também!

Curtiu? Desafie-se também e conta pra nós como foi! :D

(ATUALIZAÇÃO – 2017)
Esse post foi atualizado com fotos feitas após o ano sem compras. Nosso armário continua mega enxuto, vida super facilitada e comprando só quando precisamos.

A gente acabou se mudando de país no final do ano seguinte. E ter selecionado nossas peças favoritas foi FUNDAMENTAL pra gente não surtar durante a mudança. Em 2015, a gente ainda doou mais um bocado de peça. Em 2016, depois da mudança, outro bocado. Hoje, em 2017, nossos armários tem entre 20 e 30 peças de roupa cada. E a gente raramente compra roupas. Ou seja, depois de adotar o “um ano sem compras” a gente pode dizer que adotamos o “armário minimalista”.

Ou seja, essa ruptura com o hábito das compras em 2014 funcionou bem demais pra gente. Inclusive no longo prazo. Virou um novo hábito mesmo! Um hábito bom pro bolso e pra cabeça! Seguimos recomendando. :D

Um ano sem comprar roupa: o que a gente aprendeu - carinhas.com.br

ESCRITO POR

Melina e Raphael

Um casal, muitas ideias! Sócios desde 2008, somos apaixonados por ilustrar pessoas através das Carinhas, desenvolver Marcas Apaixonantes e criar mantras do bem, na Mantly. Cariocas vivendo em Portugal. Curiosos, otimistas e praticantes de dancinhas da felicidade.

Todas as histórias escritas por: Melina e Raphael
4 comentários
  • Carolina
    RESPONDER

    Amei o post, muito inspirador! Venho praticando o desapego há algum tempo, pois a cada dia percebo mais o quanto é mais prático e leve para o bolso e para a mente um guarda-roupa enxuto! Não tem coisa que odeie mais, em termos de arrumação da casa, que ver no fundo do armário aquelas roupas compradas por impulso, que não combinam com nada e ficam acumulando ano após ano. Estou me preparando para morar alguns meses em Londres e, pra mim, hoje é fácil pensar em exatamente quais peças estarão na mala – que será pequena e prática. Há alguns anos, isso seria impossível. Comprar menos é libertador.

    • Melina e Raphael
      RESPONDER

      Oi Carolina, que bom que curtiu o post, ficamos felizes! Verdade, roupas no fundo do armário ocupam espaço tanto lá como na nossa mente de certa forma, né? Para manter tudo organizado e limpo. Sem dúvida que comprar menos e ir dando um novo destino para as roupas que não usa é uma estratégia mais que ideal se você pretende se mudar! A palavra é essa mesmo: liberdade!

Deixe um comentário, vamos amar!

Não se preocupe, o seu email não será publicado.