Faça você mesmo a marca da sua pequena empresa: sim ou não?

    1024 492 Melina e Raphael

    Design gráfico é uma área apaixonante! A gente pode falar de carteirinha, afinal, somos designers formados e trabalhamos exclusivamente com design há mais de 10 anos. É um fato: visuais incríveis são cativantes. Uma entrada no Pinterest já faz seu coração suspirar. Como resistir a mergulhar em um mundo de possibilidades, cores, formas, fontes pra fazer sua própria marca?

    Não deve ser tão difícil assim criar a marca da sua empresa por conta própria, certo? Muita calma nessa hora! Temos alguns pontos para você, que não é designer profissional, refletir antes de se jogar nessa tarefa.

    Já vimos pessoas empreendedoras criarem suas marcas por conta própria mais de uma vez! Em geral, são pessoas que nos procuram com aquele desespero no olhar. Elas não conseguem gostar de jeito nenhum das marcas que elas mesmas criaram. Ou, pior, são os clientes dessas pessoas que acabam não percebendo essas marcas como profissionais.

    Pra você não cair na mesma cilada, vamos te dar algumas perguntas que você precisa se fazer antes de se jogar na tarefa de criar sua própria marca.

     

    1 – Você tem experiência?

    Se você está tentando criar a marca da sua própria empresa e não é um designer profissional, provavelmente está fazendo isso pela primeira vez. Ou fez algumas vezes para amigos de maneira informal. Então, você não tem experiência nesse segmento e nem pretende investir em ter. Afinal, não pretende se tornar um designer profissional e sim ser um quebra galhos.

    A falta de experiência vai fazer com que você não tenha um processo organizado pra essa criação. Sendo assim, o processo será caótico. Você olha algumas fontes, depois olha algumas cores, tenta montar isso em uma coisa só. Não ficou legal, tenta de novo, muda um pouco a cor, olha que outra referência legal aqui, muda tudo, são tantas as possibilidades… e por aí vai. Sua falta de experiência vai fazer sua mente fritar, você vai ter uma sensação de estar correndo atrás do próprio rabo. É exaustivo e o resultado não combina com o que você imaginava! Por isso, cuidado com a falta de um processo organizado. O que, a princípio, parece que vai ser divertido e gostoso, pode virar uma tarefa exaustiva sem fim.

     

    2 – Qual será o investimento de tempo?

    Essa exaustão e falta de um processo organizado resulta em uso de muito tempo. Muito mesmo! E se tem uma coisa que você, pessoa que tem uma empresa pra cuidar, não pode jogar fora é tempo! Sua empresa precisa da sua atenção em áreas estratégicas como estudo das suas ofertas, dos seus diferenciais, do seu público de interesse detalhado.

    Também requer sua atenção ver suas contas, burocracias, comunicação, vendas… a lista é interminável. Então, pondere bastante onde você vai escolher investir seu tempo. A gente garante: fazer algo que você não tem a menor experiência por conta própria vai custar muito mais tempo que você previa. Lembre-se: tempo é limitado e tempo desperdiçado não tem volta.

    É muito importante ter um processo organizado na hora de criar uma Identidade Visual completa. Veja mais sobre esse projeto para O Bolo da Ivone clicando aqui.

     

    3 – Você conhece as questões técnicas?

    Uma marca bonita e atraente tem muita técnica por trás! Redução, contraste, grid, harmonia dos elementos, gestalt, psicologia das cores, semiótica e muito mais. Tudo isso a gente passou bastante tempo estudando desde a época da Universidade até hoje para ficarmos com o olhar afiado. Além de mais de uma década de experiência vivenciando esses temas diariamente.

    São muitos detalhes conceituais e técnicos que uma pessoa sem esses conhecimentos não vai saber diferenciar ou escolher. Então, você vai tomar decisões visuais baseadas em gosto pessoal e intuição. E essas decisões podem te levar a ter muitos problemas com a versatilidade da sua marca. Cada aplicação ou nova necessidade será um drama. Porquê sua marca não foi pensada de forma estratégica para trabalhar dentro de uma identidade que é um sistema. Ou seja, sem os conhecimentos técnicos, você não terá uma identidade funcional e forte.

    + Leia também: Como nasce uma Identidade Visual? Nossa metodologia etapa por etapa.

     

    4 – Como é o seu repertório?

    Quando as pessoas empresárias se aventuram em criar a própria marca, esse é um processo bem íntimo. Ou seja, você pode muito bem não ter prestado atenção em clichês super batidos, em marcas que são parecidas (ou até iguais) a que você criou. Quem tem muita experiência, já viu centenas de milhares de marcas em pesquisas e conhece bem os sites e livros de referências. Ainda assim, corre o risco de fazer algo similar ou igual a uma marca que nunca viu. Imagine quem não vive esse mundo no dia a dia!

    Parte do trabalho do designer profissional é cuidar, ao máximo, da originalidade daquela marca. E, ainda assim, é um trabalho duríssimo e extenso. Então, por falta de repertório, você pode estar apostando em uma solução super batida e comum, sem saber. Ou pior, sua criação pode ser similar demais aos seus concorrentes, o que não te ajuda a se destacar e ainda pode acabar em um processo de plágio. Afinal, essa marca parece original e inovadora para você, que praticamente nunca fez isso na vida. Acredite: ter uma marca que é mais do mesmo não vai ajudar nada a empresa a se destacar na multidão. É o famoso tiro no pé! Então, atenção a falta de repertório que pode te levar a crer que teve uma ideia única e genial quando na verdade não é bem por aí.

    + Leia também: Direito Autoral para pequenas empresas: guia online para se proteger de processos

     

    Por trás de cada projeto, existe um conceito bem firmado que vai servir de fundação para um visual apaixonante. Conheça o projeto completo para a Anama clicando aqui.

     

    5 – Você vê a marca como cereja do bolo?

    Essa é provavelmente a maior cilada de todas. Quando você faz por conta própria a sua marca, pode cair no fenômeno da “cereja do bolo”. Ou seja, vai encarar sua marca como um acabamento bonitinho para sua empresa. Então, não é de se surpreender que ela não tenha conexão alguma com o que sua empresa tem de diferente para oferecer ao mundo. A marca tipo “cereja do bolo” não é uma estratégia forte para sua empresa. Ela é apenas uma imagem desconectada com a realidade, que não conversa com seus clientes.

    Por aqui, nós nem pegamos no lápis ou no caderno antes de fazer uma conceituação baseada em informação. Nenhum elemento entra na marca apenas para decorar. Cada detalhe tem um propósito conectado com o que obtivemos de informações com a pessoa empreendedora. Uma marca que é só um desenho bonito? Não perca seu tempo fazendo, contrate um designer iniciante ou compre uma imagem pronta provisória, enquanto você não tiver clareza sobre como sua empresa muda o mundo e impacta na vida do seu cliente.

    + Leia também: Como fazer um investimento inteligente em Identidade Visual? Não gaste um centavo antes de ler essas dicas

     

    6 – Você quer um visual profissional?

    Se você tem uma pequena empresa, significa que entrega ao seu cliente o produto ou serviço mais profissional possível! Você se dedica, compra os melhores equipamentos que pode, estuda, se joga para entregar algo cheio de qualidade. Então, repare como é contraditório, logo a representação visual da sua marca ser algo que não foi feito por um profissional qualificado. Sua empresa é profissional, mas a identidade visual não. Isso atrapalha sua empresa ser percebida com a qualidade que tem.

    A sua marca e identidade visual vai mostrar ao mundo o que sua empresa faz, vai comunicar aos seus clientes todo profissionalismo que você investiu. Sendo assim, um resultado profissional comunica preparo, atenção, cuidado e compromisso. Por outro lado, um resultado amador comunica despreparo, desleixo e falta de cuidado. Os clientes serão os primeiros a perceber essa diferença. Todo um trabalho em ser profissional vai por água abaixo com uma marca amadora.

    “Dar tudo de si não significa fazer tudo sozinha”

     

    __________________________________

    Esses são os pontos mais ciladas que já acompanhamos na nossa experiência, ao encontrar pessoas empreendedoras que se aventuraram a cuidar das próprias marcas. Geralmente elas nos procuram e passam de alguém que mudava de marca toda semana porque “não sabia muito bem o que não estava legal” para alguém com uma marca feita de forma estratégica para durar anos e até décadas.

    Pense bem antes de investir tempo se aventurando em uma área que não tem conhecimento ou experiência. Contrate um designer que você confia e gosta do trabalho e seja feliz, delegando essa importante tarefa para um parceiro estratégico!

    E você? Já se aventurou a fazer sua própria marca sem ser designer ou é designer e já viu esse filme algumas vezes? Conte pra nós nos comentários!

    __________________________________

    SUA PEQUENA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA APAIXONAR?

    Faça o teste online e descubra seu momento empreendedor e quais são os próximos passos para apaixonar seus clientes dos sonhos.

    Fazer o teste

    Faça você mesmo a marca da sua pequena empresa? Seis perguntas antes de tomar essa decisão

    Criar o Visual da sua Empresa por conta própria. Quando fazer e quando evitar.

    Author

    Melina e Raphael

    Formados, pós graduados e apaixonados por design gráfico. Cariocas que vieram estudar Branding em Portugal e ficaram. Sócios desde 2008, ajudamos centenas de pessoas empreendedoras com grandes sonhos a terem uma Marca Apaixonantes. Curiosos, otimistas e praticantes de dancinhas da felicidade!

    Todas as histórias por: Melina e Raphael

    Deixe uma resposta

    O seu email não será publicado.