Não gostei da marca que o designer fez para minha empresa, e agora?

1024 492 Melina e Raphael

“Casal, bateu o desespero, recebi a marca que contratei para minha pequena empresa e não gostei do que vi. E agora? Está tudo perdido?” Sabemos como a expectativa é muito alta quando chega o resultado da marca que você contratou. Em algumas situações, pode rolar uma grande decepção. Respire fundo e saiba que uma marca reprovada não significa que está tudo perdido!

“Quando uma apresentação não é aprovada, ela se torna, automaticamente, parte do processo criativo. Ou seja, ela será essencial no caminho da marca ideal.”

Por aqui, temos 90% de aprovação nas nossas apresentações de Marcas Apaixonantes e isso é um motivo de alegria e confiança na nossa metodologia. Ainda assim, a cada 10 projetos que enviamos, um precisa de revisão. Por isso, viemos dar algumas dicas para você não sofrer desnecessariamente quando não gostar do projeto que recebeu do designer que contratou. Não desanime e vamos lá!

 

1 – Não está tudo perdido

Primeiramente, respire fundo e entenda que não está tudo perdido. Quando um profissional de design te manda uma apresentação, existe muito mais por trás do que você vê. Ou seja, aquela pessoa ou grupo de pessoas criou diversas alternativas, possibilidades e acreditou e embasou uma delas para te mostrar. Muitas vezes, essa alternativa escolhida é certeira e surpreende os clientes. Por aqui, não é raro ouvirmos algo como “casal, eu detesto essa cor, mas amei na minha marca, encaixou perfeitamente!”. Mas, algumas vezes, essa possibilidade que o criativo considerou ideal não vai de encontro ao que você precisa para sua marca.

Conclusão: quando você reprova a proposta do profissional, essa pessoa provavelmente enxerga diversas possibilidades que já estavam disponíveis durante o processo criativo. Por isso, a apresentação é somente uma opção entre um universo com muitos outros caminhos. Pelo menos é assim que fazemos por aqui! Sendo assim, quando recebemos uma reprovação, temos um terreno fértil de ideias e possibilidades para voltar um passo atrás e trilhar, com passos mais firmes, outro caminho.

O projeto que fizemos para Thiara foi aprovado de primeira! Ela disse: “Quando recebi o projeto, completo, meu marido perguntou: Ficou do jeito que você queria? Eu não soube responder isso, porque na verdade nem eu sabia o que queria.” Veja o projeto completo clicando aqui. Foto: Tássila Costa

 

2 – Analise com a cabeça fria

Sabemos como a marca da sua pequena empresa faz suas emoções aflorarem. Não é a toa que chamamos nossos projetos de “Marcas Apaixonantes”. Nos retornos de clientes, não é raro recebermos mensagens emocionadas de aprovação. Por isso, quando se trata de reprovação, a emoção contrária bate: decepção e tristeza. Isso é super normal, mas agora que você sabe que a apresentação reprovada faz parte do processo, é hora de aproveitá-la ao máximo.

Para isso, de cabeça mais fria, analise detalhadamente o que recebeu. Por aqui, quando clientes reprovam uma apresentação, existem diversos elementos aprovados e que foram muito queridos, mesmo com a apresentação reprovada como um todo. Em alguns momentos, a apresentação foi 70% aprovada, só que o foco é muito grande no que a pessoa não gostou, daí uma decepção desproporcional, levada pelas emoções.

Por exemplo, o cliente diz “amei as ilustrações, mas não gostei das cores”. Essa informação é muitíssimo relevante, afinal, as ilustrações que foram aprovadas não precisarão ser refeitas. Agora, imagine que desperdício se a apresentação for entendida como “totalmente reprovada” em um momento onde a emoção prevaleceu. Isso significa que essas ilustrações relevantes para a marca serão descartadas. Ou seja, selecione o que gostou e o que não gostou dentro da apresentação de cabeça fria. Mudanças pontuais podem fazer uma grande diferença no resultado final.

+ Leia também: Como nasce uma identidade visual? Nossa metodologia etapa por etapa

 

3 – “Não gostei” é muito vago, fale sobre conceitos

É normal o cliente ter uma percepção geral de “não gostei”, “isso não tem a ver com minha empresa”. Mas esses conceitos são difíceis de decifrar e não ajudam o profissional de design a entender o que aconteceu. Você já viu a importância de separar o que gostou do que não gostou no tópico anterior. Então, ao invés de dizer “não gostei dessa fonte na marca”, diga “essa fonte está muito formal e clássica, eu pensei em algo mais divertido e alegre”. Quando você consegue falar de conceitos e não do seu gosto pessoal, aumenta demais as chances da sua marca apaixonar não apenas você, mas – muito importante – seu cliente dos sonhos também. Por isso, é hora de rever tudo com esse novo olhar que “traduz” o que você não gostou para algo mais objetivo e palpável.

As embalagens da Super Vegan são um exemplo de projeto que não foi aprovado de primeira. Houve uma apresentação que passou a fazer parte do processo para chegarmos nesse resultado final incrível! Clique aqui e veja o projeto completo. Foto: Tatiana Lafraia

 

4 – Chame seu cliente dos sonhos para a conversa

Nunca se esqueça: sua marca precisa apaixonar os seus clientes! Por aqui, recomendamos que convidem sempre um grupo selecionado de clientes da sua empresa para mostrar o resultado da marca. Isso deve acontecer independente do nosso cliente ter gostado ou não do resultado que recebeu. Dessa forma, você terá opiniões valiosas de quem vê sua empresa com outros olhos. Então, mesmo não tendo curtido o resultado que viu, é essencial chamar alguns clientes para um bate papo. Pela nossa experiência, os clientes dos nossos clientes são capazes de fazer observações de uma maneira mais objetiva e ajudam bastante a clarear o que precisa ser feito dali para frente.

Atenção: ao convidar clientes com quem você tem mais intimidade para opinar sobre a marca, existe um cuidado essencial. Cuide para não influenciar o seu cliente com a sua opinião. Ou seja, não aborde o cliente dizendo “puxa, estou triste, detestei essa marca que recebi, o que você acha?”. Se você fizer isso, as chances do seu cliente concordar com você são enormes. Então busque ser neutro com perguntas do tipo: “o que esse resultado te transmite?”, “o que mais chamou sua atenção?”, etc.

+ Leia também – Atendimento online enxuto: facilite a vida da sua pequena empresa e do seu cliente

 

5 – Confie no profissional que contratou

Quando você recebe uma apresentação que não gostou, parece que o mundo cai. Como falamos, a emoção toma conta e você começa a questionar até mesmo se essa contratação foi a mais acertada para sua empresa. Nessa hora, tenha calma! Confie no profissional que você contratou e converse com essa pessoa. Não é necessário pensar em cancelamentos, devolução de pagamento, quebra de contrato e outras soluções drásticas. O momento é de dar passos mais firmes, não de voltar atrás. Já vimos clientes indo ao portfólio ver outros projetos do designer que contratou para comparar ou até mesmo criticar outros projetos. Nada disso vai ajudar no relacionamento de vocês!

Afinal, é preciso ser um profissional muito experiente para ter aprovações de primeira constantes. E até mesmo as metodologias testadas e aprovadas por anos podem não acertar logo de cara sempre. Siga confiando no profissional que contratou e acredite que uma apresentação reprovada significa que vocês estão mais perto do resultado ideal!

Um projeto ser aprovado envolve toda organização profissional do criativo. É necessário ter um briefing bem feito, um atendimento organizado para não perder as informações do cliente e muito mais. Para aumentar a possibilidade de aprovações dos seus projetos, criamos um curso chamado Experiência Apaixonante, conheça aqui. Foto: Carol Lá Lach

 

6 – Olhe para frente e enxergue o próximo passo

Você já respirou fundo, colocou em palavras específicas o que não gostou, falou com clientes e segue confiando no profissional criativo que contratou. Agora, é hora de combinar com essa pessoa o que será feito a seguir. Será necessário mudar as cores e a fonte escolhida? Ou são alguns elementos que não encaixaram bem? Pode acontecer do resultado receber uma modificação radical: tudo novo! Sem problemas. Veja com o designer ou equipe se será preciso voltar ao briefing, responder mais algumas dúvidas e se alguma informação ficou faltando. Ao colocar essas dicas em prática, você aumenta as chances de um projeto bem sucedido. Essa apresentação reprovada vai virar história e parte essencial do caminho para o resultado ideal. Por aqui, tem sido assim com nossos projetos de Marcas Apaixonantes.

__________________________________

E você? Já recebeu um resultado de marca que não curtiu? Como foi a partir daí? Você também trabalha criando marcas? Tem tido problemas com clientes que não aprovam os resultados? Esperamos os comentários de vocês!

SUA PEQUENA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA APAIXONAR?

Faça o teste online e descubra seu momento empreendedor e quais são os próximos passos para apaixonar seus clientes dos sonhos.

Fazer o teste

 

Não gostei da marca que o designer fez para minha empresa, e agora?

Não gostei da marca que o designer fez para minha empresa, e agora?

Não gostei da marca que o designer fez para minha empresa, e agora?

Autoria

Melina e Raphael

Designers e apaixonados, somos sócios desde 2008. Especialistas em branding, ajudamos centenas de pessoas empreendedoras com grandes sonhos a terem uma Marca Apaixonante. Vamos criar juntos?

Todas as histórias por: Melina e Raphael

Vamos amar receber seu comentário!

Pode deixar que não vamos publicar o seu e-mail, ok? ;)

Usamos cookies respeitando sua privacidade para te proporcionar uma experiência melhor de navegação. Ao usar o carinhas.com.br, você aceita o uso de cookies.