Porque entregamos uma versão (e não três) nos projetos de Marca Apaixonante

Porque entregamos uma versão (e não três) nos projetos de Marca Apaixonante

Pessoal, eu gostaria de escolher a minha marca, vocês mostram quantas opções na apresentação?” No mundo do design, é bem comum que profissionais mostrem até três opções de marcas para o cliente escolher. Quando nos formamos, lá no início dos anos 2000, já fizemos assim. Mas, tem anos que adotamos a metodologia de apresentar uma opção completa e bem desenvolvida. Então, porque entregamos uma versão de marca? Será que receber uma é melhor que receber três opções?

Entregar três opções gera mais problemas do que soluções, entra em jogo o paradoxo da escolha e o cliente começa a misturar os estilos, tornando o processo confuso e o resultado pode ser um desastre!

Neste artigo, vamos te mostrar como foi a nossa experiência e compartilhar alguns fenômenos bastante comuns quando criativos entregam três opções. Atenção: o Frankenstein vai participar desse post, quem diria! Vamos nessa.

 

1 – Não é uma marca, é um sistema

Um dos erros mais comuns quando se trata de identidade visual é pensar que se trata de uma marca apenas. Pensando assim, parece fácil, escolho a marca A, B ou C. Pronto! Mas, uma identidade visual é muito mais que um logo, marca ou logomarca, ela é um sistema completo. Por isso, você deve avaliar outros elementos do conjunto como cores, tipografia institucional, símbolo, grafismos, estampa, aplicações offline e online, etc. Enfim, são diversos elementos trabalhando juntos para falar ao coração do seu cliente dos sonhos.

Por aqui, levamos diversos dias para desenvolver um sistema completo, inclusive pensando em inúmeros caminhos e possibilidades durante o processo, afunilando e aperfeiçoando dentro do nosso método. Agora, imagine levar o triplo do tempo para entregar três soluções completas. Fazer isso, além de levar mais tempo, precisaria custar três vezes mais. Tudo isso para, no fim das contas, o cliente escolher apenas uma, ou seja, sentir que só um terço do investimento foi efetivo. O que nos leva ao próximo tópico com participação especial.

+ Leia também – Como nasce uma identidade visual? Nossa metodologia etapa por etapa. 

Porque entregamos uma versão (e não três) nos projetos de Marca Apaixonante

Porque entregamos uma versão (e não três) nos projetos de Marca Apaixonante

Porque entregamos uma versão (e não três) nos projetos de Marca Apaixonante

Na Marca Apaixonante da Premura, fica fácil notar que existem cores, estampa, ilustrações e todo um sistema funcionando em conjunto. Veja o projeto completo aqui.

2 – O fenômeno Frankenstein

Quando o cliente se depara com três opções, bate uma vontade de aproveitar um pouco de tudo que os profissionais fizeram. Afinal, você sente pagou por elas e cada uma tem seus pontos positivos. Nesse caminho, começa a nascer um monstro, o famoso Frankenstein. Ele aparece quando você decide, por exemplo, usar a fonte de uma opção, as cores da segunda e o símbolo da terceira. Parece uma boa ideia pegar o melhor de cada opção e bater no liquidificador. Mas, na prática, o resultado é algo sem pé nem cabeça e uma mistura estranha de soluções visuais. Você não vai querer que sua marca se pareça com um filme de terror, certo? Em geral, os próprios clientes que sugerem Frankensteins concluem: o resultado final não ficou legal! Ou seja, perda de tempo, necessidade de fazer mais uma opção e recursos que poderiam ser investidos em uma única boa solução desde o início.

+ Leia também – Identidade visual: o que é isso afinal?

 

3 – O paradoxo da escolha

Entregar mais de uma opção também provoca outro fenômeno interessante: o paradoxo da escolha. O psicólogo e professor Barry Schwartz cunhou esse termo. Ele afirma que, na busca pela opção ideal, as pessoas frequentemente ficam frustradas. Ou seja, ter muitas possibilidades nos traz ansiedade para tomarmos a melhor decisão. Pela nossa experiência, uma vez que o Frankenstein não fica legal, o cliente tende a postergar a decisão. Vai avaliar, mostrar para outros, cada um diz algo diferente e a decisão não vem nunca. Evitamos deixar nossos clientes nessa dúvida e ponderação eternas dos prós e contras de cada opção adotando o caminho de enviar uma única opção bem resolvida.

+ Leia também: Quer trabalhar com design gráfico? Conheça esses pontos fundamentais 

A marca da Zaetê, uma loja de cosméticos naturais em Búzios, foi entregue com uma opção completa. Veja o projeto completo aqui.

4 – Você vai fazer escolhas!

É importante lembrar que, quando você recebe uma opção de marca, você está sim fazendo escolhas… e muitas! Afinal, você tem todo um sistema para compreender e opinar em cada detalhe. Então, pode acontecer de uma cor da paleta te chamar a atenção e você preferir mudar, por exemplo. Ou mesmo alguma característica na marca, símbolo, nos grafismos, estampas e por aí vai. Você pode até mesmo avaliar as aplicações, nas imagens para redes sociais, por exemplo, e fazer um comentário ou sugestão. Serão muitos elementos do seu sistema para avaliar e suas escolhas são importantes e bem vindas. Pense nas vantagens e objetividade em opinar em uma solução bem feita do que a confusão para opinar em vários caminhos diferentes.

No projeto de Marca Apaixonante da Maria Carol Mendes, foi preciso fazer um leve ajuste na cor verde da paleta. Uma decisão e escolha que aconteceu dentro da opção apresentada. Veja aqui o projeto completo e conhecer mais sobre a microbiota intestinal.

5 – Uma opção também é caminho

A gente sempre comenta, alegremente, que nossos projetos tem 90% de aprovação. Ou seja, a cada dez projetos entregues, apenas um não é aprovado. Nesse caso, aquela opção reprovada vira caminho e parte do processo. Sendo assim, não vale à pena andar em círculos misturando e pensando por meses em três opções. O caminho de apresentar uma opção, até quando ela é reprovada, ajuda muito mais. Pois, com essa reprovação, ficamos sabendo o que não conversou com a estratégia e o que não está funcionando. Podemos, portanto, sermos bem mais assertivos na próxima apresentação, novamente com uma opção de um sistema completo e bem resolvido.

+ Leia também: Não gostei de opção que o designer fez para minha empresa, e agora?

A maioria dos nossos projetos de Marca Apaixonante são aprovados de primeira, com foi o caso da Thiara Ney. Veja o projeto completo aqui.

Conclusão

Mandar uma opção é vantajoso tanto para quem cria quanto para o cliente. Os designers podem visualizar opções de uma forma mais ágil e encontrar um caminho durante seus processos criativos. Além disso, não precisam dedicar energia em mais de uma possibilidade, podendo entregar uma opção com muito mais qualidade.

Já do lado do cliente, essa pessoa não precisa fazer um trabalho de recorte e colagem entre opções – o que raramente dá certo – nem ficar ponderando vantagens e desvantagens de cada opção por semanas ou meses. Com uma solução bem resolvida, existem muitas decisões para tomar e o resultado tende a ser mais ágil e efetivo!

E você? Trabalha com criação? Manda uma ou mais opções? Você já contratou marcas e recebeu mais de uma opção? Como se sentiu na hora de escolher? Já participou do nascimento de um Frankenstein? Conta para nós nos comentários!

Sua pequena empresa está pronta para apaixonar?

Faça o teste online e descubra seu momento empreendedor e quais são os próximos passos para apaixonar seus clientes dos sonhos.

Sua pequena empresa está pronta para apaixonar?

Faça o teste online e descubra seu momento empreendedor e quais são os próximos passos para apaixonar seus clientes dos sonhos.

1728 830 Melina e Raphael
Compartilhe

Vamos amar receber seu comentário

Melina e Raphael

Designers e apaixonados, somos sócios desde 2008. Especialistas em branding, ajudamos centenas de pessoas empreendedoras com grandes sonhos a terem uma Marca Apaixonante. Vamos criar juntos?

Autoria: Melina e Raphael
Digite o que procura...