O cliente quer o serviço pra ontem e com desconto? Como resolver esses e outros problemas

    1024 492 Melina e Raphael

    “Estou sem grana, faz um desconto? Ah, preciso pra ontem! Não gostei do resultado, não sei porquê, não sei explicar…” Qual criativo nunca ouviu esse retorno de um cliente e ficou sem saber como agir? Esse tipo de problema tem mais a ver com a atitude da sua empresa do que com a qualidade do seu serviço ou com seu cliente ser indeciso ou enrolado.

    Pensar que os clientes são difíceis não ajuda sua empresa a sair do lugar e tomar atitudes. Clientes incríveis e fáceis de lidar existem e só trabalham com empresas profissionais e seguras!

    Então, antes de fazer aquele post xingando muito seu cliente no Facebook, vamos ver problema por problema e descobrir o que se passa na sua empresa e como você vai adotar uma nova postura diante dos seus clientes.

     

    1 – Dificuldade para conseguir clientes

    Não é fácil conquistar novos clientes. Nesse movimento, entendemos que é necessário mandar orçamentos ou propostas comerciais para todo mundo que nos procura. Quando você manda propostas para todos, sem qualquer tipo de filtro, isso significa que sua proposta não tem um alvo específico. Má notícia! Quem quer falar com todo mundo, não consegue falar direito com ninguém.

    Se você está com dificuldades para fechar trabalhos, comece a pensar em filtrar e entender melhor o tipo de pessoa que você quer atender, seja bem específico. Antes de correr e mandar um orçamento para todos que perguntam “quanto custa?”, faça algumas perguntas estratégicas. Muito melhor mandar menos propostas com um alvo em mente do que muitas sem ter a menor ideia do perfil de quem está do outro lado.

     

    2 – Clientes que não valorizam o trabalho

    Ah, você faz isso rapidinho, quebra esse galho aí pra mim”. Quando você ouve coisas desse tipo significa que esse potencial cliente não está valorizando o que você faz. Mas, pensa bem, como essa pessoa vai valorizar seu trabalho se você não mostra pra ela como faz? Ela não faz ideia de como acontece seu processo de trabalho, ela não sabe o que você teve que aprender para fazer o que faz. É bem comum o cliente achar que cai aquele raio criativo na sua cabeça e o resultado aparece. E nós sabemos que não é nada assim!

    Por isso, procure deixar sua metodologia de trabalho clara para o seu cliente. Mostre que sua empresa tem regras e processos organizados. Mostre também que você sabe muito bem o impacto que seu trabalho vai fazer na vida dessa pessoa, com a experiência que você tem. Assim, fica claro que você já fez isso antes e que sabe muito bem o que está fazendo. Quanto mais profissional é a sua postura, mais valorizado é o seu trabalho.

    O sorriso do nosso cliente Fabrício diz muito sobre o impacto da marca que criamos. Fizemos uma websérie com depoimentos de clientes sobre suas marcas, assista aqui.

    + Leia também – Como nasce uma identidade visual? Nossa metodologia etapa por etapa

     

    3 – Clientes que querem diminuir o preço

    Se o cliente quer abaixar o preço, significa que ele está encarando seu trabalho como uma despesa e não como um investimento que gera resultados. Ou seja, o cliente só olha o resultado final do que você faz. Por exemplo, o cliente precisa de uma identidade visual. Se você se posiciona como uma empresa que manja dos programas gráficos e vai fazer uma marca bonita rapidinho, o cliente vai marcar na lista dele de despesas como “gasto com a marca”.

    Mas, quando você cria um processo de trabalho que envolve troca de ideias, passar conhecimento e cuidar do sucesso do seu cliente junto com ele, seu cliente te vê como um parceiro. A marca que você vai entregar é apenas o final de um processo de parceria, cheio de estratégia por trás. Dessa forma, fica claro para o seu cliente que seu trabalho é um investimento pensado, que vai além da entrega do trabalho final, e não uma mera despesa.

     

    4 – Clientes que não sabem o que querem

    A frase “não gostei e não sei explicar porquê” é o pesadelo de muitos criativos! Ou suas variantes como “falta uma bossa” ou “falta um quê a mais”. E agora? Bom, se você jogou no colo do cliente diversas imagens, por mais incríveis que elas sejam, saiba que, nesse caso, “uma imagem não vale mais que mil palavras”. É necessário também escrever sobre o que você pensou e explicar porquê tomou cada decisão criativa. Dessa forma, seu cliente pensa junto com você, entende o caminho criativo que você escolheu e consegue te dar um retorno mais preciso.

    E não para por aí, para receber uma resposta certeira, é preciso deixar claro para o que cliente o que você quer saber. Afinal, se você fica só esperando uma resposta para pergunta nenhuma, as chances de receber “não sei” são muitas. Faça perguntas, você precisa saber se o que entregou tem a ver com as estratégias que seu cliente tem, está tudo ligado. Se você deixar seu projeto criativo depender do “amor à primeira vista”, gosto pessoal e humor do dia daquele cliente, a jornada será sofrida para os dois lados.

    Até no portfólio, procuramos incluir textos que expliquem nossas decisões criativas e estratégias de projeto. Essa é a família de embalagens que criamos para a Tartiner, veja aqui!

    + Leia também – Minha logo está legal? 5 perguntas para avaliar sua marca

     

    5 – Clientes que não respeitam prazos

    Tem clientes que pedem tudo “pra ontem” e, essa mesma pessoa, some por dois meses. Como é possível? Sim, a vida dela está acontecendo e prioridades e objetivos podem mudar. Mas, se você ficar a mercê dessas mudanças, sua empresa não consegue se organizar. Para isso, a solução é o famoso “combinado não sai caro”.

    Antes da contratação, alinhe as expectativas com seu cliente. Quais são os prazos que você precisa para trabalhar? E se o cliente sumir, o que acontece, qual é a consequência por não cumprir os combinados? Será preciso pagar uma multa? Não se esqueça de oficializar esses combinados com o seu cliente, através de um contrato com valor jurídico. Ter regras claras e antecipar problemas vai dar para o cliente o mesmo senso de compromisso que essa pessoa viu na sua empresa.

     

    6 – Clientes que mandam mensagens demais e dão instruções excessivas

    Alguns clientes controlam cada etapa do processo de trabalhos criativos. Já chegam com um briefing pronto, com a cor que querem usar e até com um rascunho do resultado que pretendem. Essas pessoas ligam para avisar que mandaram um e-mail e mandam uma mensagem para avisar que ligaram.

    É muito ruim receber instruções excessivas por parte do cliente, mas você por acaso já explicou o cronograma do projeto de vocês para essa pessoa? Você já mostrou pra ela como prefere atendê-la? O cliente também não quer ter que controlar tudo e fazer o trabalho por você. Essa pessoa está se comportando assim porquê não se sente segura com seu trabalho. Mostre para ela que você tem o controle da situação com mais profissionalismo e segurança e veja os contatos e instruções reduzirem!

     

    7 – Clientes problema: uma crise atrás da outra

    O cliente reclamou, o cliente bateu o pé, o cliente está trazendo aborrecimentos para você. Sim, isso pode acontecer e o comportamento do cliente não está no nosso controle. Mas o seu está sim, você pode decidir como vai agir a respeito. Com muita assertividade e empatia, você precisa ter um passo a passo já pré-definido para momentos de crise e problemas. Não dá para torcer que não vai acontecer e depois fingir que não viu. Também não rola de bater boca com o cliente no calor do momento. Tenha um plano com a cabeça fria! E saia de problemas e crises com muito jogo de cintura sem abalar a experiência do seu cliente com a sua empresa.

    + Leia também – Críticas a sua vida empreendedora: como lidar com mais leveza?

     

    8 – Clientes que não voltam e não indicam seu trabalho

    A maior fonte de novos clientes é o famoso boca a boca, ou seja, indicações de clientes antigos. Então, se seu cliente não volta para fazer um novo projeto ou indica outros, temos que consertar o que pode ter acontecido. Já trabalhamos criando projetos de marca e identidade visual para clientes de diversos segmentos: gastronomia, aplicativos, fotografia, papelaria, moda, saúde e mais. Muitos deles estavam frustrados com outros designers. As reclamações não necessariamente tinham a ver com o resultado dos trabalhos. E sim com a experiência difícil! Você quer ver seus clientes voltando e se tornando embaixadores da sua marca? Entregue a Experiência Apaixonante que eles merecem!

    Como proporcionar uma Experiência Apaixonante para o seu cliente?

    Quando o seu cliente está tendo uma experiência ruim, você também está estressado. A Experiência tem que ser Apaixonante para os dois lados. Tanto para quem cria, sentindo satisfação e realização profissional, quanto para quem é cliente. Vamos te guiar passo a passo pela nossa metodologia própria de atendimento virtual desde o primeiro contato até o final do projeto de identidade visual. Sim, está nascendo nosso Curso Online Experiência Apaixonante!

    Já atendemos milhares de clientes completamente online (não fazemos uma reunião presencial desde 2008) e vamos abrir totalmente nossos bastidores e te mostrar o porquê de cada atitude e pergunta que fazemos para nossos clientes e como você pode criar seus questionários digitais e ferramentas de uma forma organizada, dinâmica, automatizada e eficiente.

    E mais, você não estará só! Estamos aqui para te ajudar tirando dúvidas toda semana durante o curso para que seu negócio criativo vá para um outro nível de profissionalismo e potencial para apaixonar seus clientes e transformá-los em embaixadores da sua marca. Naquele ganha-ganha que você merece: os dois lados satisfeitos e felizes.

    As matrículas ficam abertas apenas até o dia 23 de julho!

    O cliente quer o serviço pra ontem e com desconto? Como resolver esses e outros problemas

    O cliente quer o serviço pra ontem e com desconto? Como resolver esses e outros problemas

    ESCRITO POR

    Melina e Raphael

    Formados, pós graduados e apaixonados por design gráfico. Cariocas que vieram estudar Branding em Portugal e ficaram. Sócios desde 2008, ajudamos centenas de pessoas empreendedoras com grandes sonhos a terem uma Marca Apaixonantes. Curiosos, otimistas e praticantes de dancinhas da felicidade!

    Todos os textos escritos por: Melina e Raphael

    Deixe um comentário, vamos amar!

    Não se preocupe, o seu email não será publicado.