Identidade visual: o que é isso afinal?

1024 492 Melina e Raphael
  • 2

Existe muita confusão entre os significados das palavras marca, identidade visual, logomarca, desenho, logo… como isso tudo deve ser usado? O casal aqui tem formação, experiência e paixão por design e vai te ajudar a responder tudo que sempre teve vergonha de perguntar sobre identidade visual! :)

Já escutamos por aí: “Eu tenho uma amiga que desenha super bem, ela fez a minha marca que é um desenho fofo de uma boneca cheia de detalhes, borboletas, uma mesa com objetos, etc, etc, etc. Ficou perfeito e eu adorei!”

A identidade visual é um componente fundamental para qualquer empreendimento pois é através dela que irão ser transmitidos e expressados os valores, estilo e, principalmente, a essência daquele negócio. Quando vendemos pela internet, por exemplo, o produto não se apresenta nas mãos do cliente para ajudar a carregar esses valores e a identidade visual se torna ainda mais fundamental para expressar tudo isso. Para pensar na identidade visual de uma empresa, alguns conceitos são importantes:

 

1) Colocando nomes nos bois

Em geral, a marca é composta de um logotipo e um símbolo. Uma marca pode não ter um símbolo (como a da Coca-cola) e assinar apenas o seu nome, quando é assim, ela pode ser chamada de logotipo apenas. Em inglês, a marca é conhecida por “logo”, por conta disso, o termo abrasileirado para “logomarca”.

A marca faz parte do sistema de identidade visual, que é formado por ela e por mais uma série de outros componentes como as cores institucionais, alfabeto institucional, que vão aparecer no material de papelaria, letreiros, uniformes, sinalização, embalagens, etc.

Identidade visua: o que é logotipo, marca e símbolo
Uma mesma marca pode ser utilizada por completo e, em outros momentos, ter só seu símbolo ou logotipo como assinatura. Este exemplo é a marca criada para a empresa “Operti“,  pelo casal Carinhas

 

2) Defina e posicione sua empresa

Antes de começar a pensar na identidade visual da sua empresa, é preciso que você entenda e defina o seu negócio e isso significa restringir e delimitar sua atividade e seu estilo. Se você gosta de cozinhar, também adora scrap e curte fotografia é interessante escolher um desses caminhos para se especializar e se concentrar. Você pode fazer tudo isso e ser um multi-empreendedor, sem problemas.

Mas, em termos de identidade visual, trabalhe uma marca de cada vez e foque em cada segmento. Assim, sua comunicação será bem direta e clara com seus potenciais clientes. Esse é o momento de fazer um exercício profundo de auto-conhecimento para entender precisamente o ingrediente que vai garantir a sobrevivência da sua empresa: seu diferencial. Passear nos mais diversos estilos e acabar por desenvolver trabalhos “similares” a empresas existentes não vai fazer sua marca ser percebida com valor e profissionalismo, e sim, como uma “genérica” de outra empresa.

 

3) Marca é diferente de desenho ou ilustração

Diferente de um desenho complexo, uma marca deve ser clara e objetiva e pra isso contar com poucos elementos. Claro que uma ilustração toda detalhada e cheia de fofuras pode ter tudo a ver com a sua essência e pode servir como apoio na sua identidade visual. É muito comum atendermos pessoas que estão começando seus negócios ainda sem conhecer profundamente seus diferenciais. Um desenho funciona muito bem nesse primeiro momento, temos até uma entrega super bacana que chamamos Carinhas de Profissional. Funciona para passar uma imagem mais organizada e pra começar a trabalhar identidade sem investir em um sistema completo.

A marca em si deve ir além. É graças à esta objetividade visual (menos elementos e menos cores) que você vai consegui aplicá-la nos mais diversos suportes e, ainda assim, ela vai ser reconhecida e seu trabalho será lembrado. Por aqui, desenvolvemos muitas marcas para pequenos empreendedores apaixonados, tanto que batizamos esse projeto de “Marcas Apaixonantes”. Receba nossa proposta preenchendo este formulário: http://carinhas.de/AtendMarcas

 

4) Identidade não significa idêntico

É bacana que cada item da sua identidade visual (topo de blog, tags, papelaria, carimbos, uniformes, brindes para os clientes, etc.) tenha uma aplicação diferente, mas mantendo a identidade. Dessa forma sua identidade visual não fica repetitiva e sim esperta e inteligente como seu negócio!

 

5) Ajuda de um profissional

Esses pontos te ajudam a refletir sobre a sua marca, mas o profissional mais apto para trabalhar a sua identidade visual colocando a mão na massa é o designer. Nós somos formados em design e certamente essa formação contínua com cursos que fazemos sempre foi e é fundamental para criar marcas adequadas e fortes.

Haja bagagem visual, poder de síntese e conhecimentos técnicos para transformar toda a essência e características de uma empresa em uma identidade coerente e adequada para seu negócio. Sabemos que existem muitos profissionais no mercado praticando design e vendendo o trabalho de marca. Por isso, cheque, verifique e veja se outros trabalhos desse profissional tem essas características comentadas acima. Lembrando das suas intenções que são: se diferenciar e se destacar!

 

6) Fale sem medo e confie no profissional que escolheu

Na hora de conversar com o profissional sobre sua marca e contar pra ele suas intenções, não se atenha na solução visual (ex. quero uma borboleta na marca ou quero um menino com uma pipa) coloque suas energias em palavras para descrever o seu negócio, conte para ele porque você se destaca, qual a sua característica marcante? Porque os clientes devem te contratar e não seu concorrente? Deixe que o profissional traduza essas informações em visual para você.

Depois que sua marca estiver pronta e for entregue a você pelo designer, sua identificação com ela deve ser imediata, parecida com amor à primeira vista. Mas, lembre-se, são seus clientes que precisam perceber e captar os valores que você quis transmitir com a marca. Esteja atento a resposta deles e ouça bastante. O trabalho de marca nunca termina, ela deve estar “viva” e alinhada com os objetivos e valores da empresa sempre. Nem que, para isso, precise ser redesenhada.

+ Leia também: 5 sinais de que é hora de redesenhar sua identidade visual (e 3 razões para não mudar)

E você? Como foi a criação da sua identidade visual? Houve a ajuda de um profissional da área ou você mesmo cuidou dela? Como é o feedback dos clientes? Ainda restam dúvidas sobre esse assunto? Não deixe de comentar aqui neste post ou escreva pra nós no oi@carinhas.com.br

Identidade Visual: o que é isso afinal? - carinhas.com.br

AUTOR

Melina e Raphael

Um casal, muitas ideias! Sócios desde 2008, somos apaixonados por ilustrar pessoas através das Carinhas, desenvolver Marcas Apaixonantes e criar mantras do bem, na Mantly. Cariocas vivendo em Portugal. Curiosos, otimistas e praticantes de dancinhas da felicidade.

Todas as histórias por: Melina e Raphael
6 comentários
  • Fernanda Passos
    RESPONDER

    Na primeira empresa, a Sushi, eu tinha em mente o que queria mas contei com a criatividade de um profissional para desenvolver tudo para mim.
    Já na Baths eu decidi que era hora de fazer tudo sozinha. Uma ajudinha aqui e outra ali (sonhei exatamente com o símbolo, a tipografia, tudo!) e fiz o logo da Baths.
    Recebi muitos elogios e isso me deixou feliz e confiante de que estava no caminho certo.
    E fora a satisfação pessoal de fazer tudo, tudinho que diz respeito ao seu negócio, né?
    Acredito que tecnicamente cometa alguns errinhos, mas procuro sempre melhorar e aprimorar meus conhecimentos. Contar com posts como esse ajudam muito! =)

    Adorei a conversa de hoje!!

    Beijos!

  • Melina Pettendorfer
    RESPONDER

    Oi Fê! Que bom te ver por aqui!! Legal, obrigada por compartilhar sua experiência.

    Sim, no início do negócio é super bacana visualizar, colocar em prática e testar mesmo. Que máximo, parabéns pelos feedbacks, é bom demais colocar algo no mundo e ter retorno das pessoas. Acho que esse é um dos grandes prazeres de empreender!

    É mesmo satisfação gigante poder cuidar de cada aspecto do nosso negócio mas chega um momento que temos que admitir: delegar poder ser libertador. Vamos falar disso em outro artigo… quando nosso “filho” vai crescendo, poder contar com ajudar de outros profissionais vai nos dando mais segurança para dar os próximos passos. Temos praticado esse “desapego” e tem sido incrível! :D

    Que bom!! Estamos empolgados para falar mais!!

    beijo grande e obrigada! ;)

  • Maila Brasil
    RESPONDER

    Era um assunto que estava precisando lê, adorei..

    Bom estou começando um négocio agora, e estou pesquisando tudo á respeito, acompanho as carinhas a muito tempo,quando busquei caricaturas para convite do meu casamento fiquei louca pelas carinhas, mais meu esposo preferiu algo mais formal somente com letras, ta tudo bem, agora chegou a minha vez que me preparar para criar um logotipo para minha lojinha, estou super ansiosa para enviar o e-mail pra vocês com as informações..

  • ericajf
    RESPONDER

    Interessante esse assunto.

    Estou em processo de análise para abertura da minha empresa de produção de conteúdo corporativo (não publicitário). Tem haver com modelagem e mapeamento de processos, inteligência criativa, produzindo descrição das boas práticas em formato de manuais inteligentes e interativos.

    Estou super dedicada, estamos montando nosso plano de negócio e estudando o setor. A próxima etapa, após tudo desenhado, começa justamente com a identidade visual.

    Quem sabe fechamos parceria mais uma vez Melina.

    Grande abraço,
    Érica Simões

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado.